4h24

A hora em que, num domingo, estou sentado, ouvindo música e pensando em você. Lágrimas correm pelo meu rosto e não consigo fazê-las parar, por mais que eu queira.

Eu não imaginava o quanto seria difícil te esquecer. Não sei como parte de mim está conectada a você, ao mesmo tempo em que a outra está certa de que não era para ficarmos juntos. Não sei lidar com este clima nublado em meus dias.

Não sei o que fazer. Atividades do dia a dia, antes comuns, agora me fazem lembrar você: cozinhar o almoço, fazer o café, ouvir música. Chega a hora de dormir, e de repente você está em meus sonhos.

Foi tudo muito rápido, intenso, tipicamente capricorniano. Ainda penso na gente dormindo juntos e eu me assustando quando, no meio da noite, você “parava” de respirar. Lembro do quão quente era o espaço em seu peito e da suavidade da sua pele. Recordo da sua voz barítona dizendo ‘como você é teimoso‘ e da sua risada fofa/alta. E só sei sentir saudades.

Percebi, então, que vou ter que esperar este sentimento passar. Não o carinho/respeito, porque eles não passarão, mas a saudade que sinto. Me dei conta de que quando meu dia não for corrido, me impossibilitando até de pensar no almoço, as lembranças vão me assaltar. Também tenho que lidar com o fato de que a cada vez que ouvir Caravan, Diamonds in The Sky e Napoleon, eu vou lembrar de você.

Acredito que já tenhamos concluído o propósito que um tinha na vida do outro, mas a sua falta ainda me faz falta.

Photo by Kat J on Unsplash

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s