Partida(s)

Despedidas são, na maioria das vezes, dolorosas. Talvez eu tenha generalizado, mas não conheço uma pessoa que, de primeira, tenha lidado bem com um fim; seja ele qual for. Alguns fins vêm com uma sensação de fracasso. Outros, com uma de alívio. Uns desistem, outros, recomeçam.


Dia desses me deparei com um texto no Linkedin aonde o autor diz que ‘quer seja um trabalho, empreendimento, relacionamento ou projeto, há razões perfeitamente válidas para que você queira os deixar. Se você tem um instinto que deve se retirar, […] há uma boa razão por trás deste pensamento.’ Não existe uma verdade absoluta a respeito disso (acerca de nada, né?), mas você precisa estar atento quando algo começa a lhe incomodar.

“Coincidentemente” (entre aspas pq não acredito nisso), ontem à tarde recuperei umas anotações que fiz em um smartphone que pifou. ‘O lance dos recomeços é que exigem que algo acabe’ diz uma delas.

Às vezes a gente sente quando algo está prestes a acabar. É um incômodo que vem e fica. A gente ignora, ele dá uma acalmada, volta, e o ciclo se repete. Ruim? Depende. A forma como você o encara é o que definirá o que este fim significará pra sua vida. Ficar parad@ na esperança de que algo aconteça não adianta. Insistir e não reconhecer o fim, idem. Aliás, quando algo que a gente gosta começa a dar os ares de que está acabando (intuição?) a gente reluta e não assume. Me parece uma decisão plausível, porém, não vale a pena.

Então é hora de agir. Você pode dizer que o universo tá tirando uma com a sua cara? Sim. Você pode simplesmente cruzar os braços? Você pode. Mas nada será mais gratificante do que fazer algo por si mesm@. Eu falo sobre tomar as rédeas da própria vida.Reaja diante de um fim, reaja diante de um problema. Não se dê por vencid@ e não deixe que esta situação seja uma pedra que você ignorou ao invés de chutar para longe.Vá e faça algo por você, pela sua vida. A gente não tem tempo para perder com situações e pessoas que não nos fazem sentir confortáveis. Como diz uma música do The Fray: ‘Corra pela sua vida com tudo o que você é e tudo o que você quer’. E para reflexão nossa, deixo uma frase de Anaïs Nin, uma autora francesa:’A vida se encolhe ou se expande em proporção à coragem da pessoa‘.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s